Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

MELGAÇO, DO MONTE À RIBEIRA

História e narrativas duma terra raiana

MELGAÇO, DO MONTE À RIBEIRA

História e narrativas duma terra raiana

UM AVIADOR MELGACENSE

melgaçodomonteàribeira, 19.02.22

29 c2 - parque rio porto.jpg

 parque rio do porto

 

Em 27 de Janeiro de 1948 num brutal desastre de aviação ocorrido na Caparica, próximo de Lisboa, morreu o 1º tenente aviador Rui de Barros e Brito, natural desta vila, filho da Sr.ª D. Isabel Desdemona Pita da Barros Brito e do Sr. Custódio da Costa Brito.

O 1º tenente aviador Barros e Brito, que nasceu em 1917, foi promovido a aspirante em Outubro de 1934, sendo um dos nossos primeiros e mais experimentados pilotos de linha, apesar da sua mocidade.

Quando começou a fazer serviço na Direcção Geral de Aeronáutica Civil, foi a Inglaterra estagiar na British Owerseas Airways, onde se familiarizou com a linha de África, que depois começou a percorrer como piloto da D. C. A. C. :

Quando na terceira viagem experimental da Linha Aérea Imperial, o Dakota comandado pelo comandante Eurípedes Silva, na viagem de regresso, teve um desastre em Bafatá, na Guiné, foi o 1º tenente Barros e Brito, comandando outro Dakota, quem foi a Bathurst, levar uma hélice e outras peças necessárias para a reparação do aparelho sinistrado, e trouxe para Lisboa os três passageiros que vinham nele.

Em 1941, foi louvado pela maneira corajosa como procedeu ao salvamento dos destroços de um avião danificado pelo temporal, nos Açores.

 

Padre Júlio Apresenta Mário

Júlio Vaz

Edição do autor

1996

p. 237

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.