Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MELGAÇO, DO MONTE À RIBEIRA

História e narrativas duma terra raiana

MELGAÇO, DO MONTE À RIBEIRA

História e narrativas duma terra raiana

MELGAÇO, ACÇÃO CULTURAL E RECREATIVA

02.02.19, melgaçodomonteàribeira
fonte termal ACÇÃO CULTURAL E RECREATIVA   A vila possui uma grande herança natural, histórica e cultural marcada pelo Parque Nacional Peneda-Gêres e pela recente revitalização do Parque Urbano Rio do Porto, pelos mais variados monumentos de arquitectura religiosa, civil e militar como as pontes romanas que se destacam pela simplicidade e plena integração na natureza (Rocha, 1993). Esta região tem a sua origem no povo castrejo, de raça celta, que habitava as construções (...)

O CRUZEIRO DE MELGAÇO

14.07.18, melgaçodomonteàribeira
cruzeiro de são julião   CRUZEIROS     No pequeno alfoz da sua freguesia quatro cruzeiros houve outrora Melgaço e embora alguns tenham sido mudados de local, ainda hoje todos se conservam erectos à veneração dos fiéis. Um, e é o principal por mais lindo, mais trabalhado e mais artístico, tem a forma do Piedade, pois numa das faces da cruz está esculpida a imagem de Cristo crucificado e na outra a de Nossa Senhora com o filho morto deitado no regaço. Representa o descimento (...)

POMAR DAS ADEGAS

23.07.16, melgaçodomonteàribeira
                                                                        O ANTIGAMENTE   A Maria Florinda, filha do saudoso Francisco de Sousa Cardoso, querida contemporânea, esclareceu a oleogravura “Frades Barbeiros” que mencionei num dos meus “Antigamente”. Obrigado pelo esclarecimento que me despertou (...)

NO LARGO DA CALÇADA II

12.03.16, melgaçodomonteàribeira
largo da calçada, década de 80 do século xx      As camionetas desta empresa, localizada no mesmo largo, ligavam Melgaço a S. Gregório, Castro Laboreiro e Monção. Nesta altura, já havia muito que a Auto Viação deixara de servir a aldeia de Fiães por falta de rentabilidade. Os camponeses preferiam a furgoneta do Meio Quilo, mais (...)

NO LARGO DA CALÇADA I

05.03.16, melgaçodomonteàribeira
 toni costa e berto chiquera na esplanada do café estrela   O Barbosinha   Estávamos em 1974. A Vila, a maior parte do ano plácida e silenciosa, transformava-se no mês de agosto – e isto quotidianamente – num dia de feira sem tendeiros; o agosto do ano da Revolução dos Cravos fulminara todos os superlativos: os emigrantes, vindos dos quatro cantos do mundo, tinham-se apoderado do concelho. Muitos destes conterrâneos adoravam externar ostensivamente parte do pecúlio (...)

MELGAÇO EM ALEXANDRE HERCULANO

19.09.15, melgaçodomonteàribeira
    De uma forte garantia a favor da immunidade doméstica é exemplo singular o que estatue a carta municipal de Melgaço, concelho imperfeito da sexta formula. A residência de qualquer vizinho era coutada  em seis mil soldos, isto é, ficava equiparada ao solar dos mais illustres cavalleiros de linhagem e, afora o coutamento, quem nella (...)

MELGAÇO, O SANTO PRETO

09.09.15, melgaçodomonteàribeira
      A CAPELA DE S. BENEDITO   ORIGENS     No bairro da Calçada, subúrbios da vila, em frente da encruzilhada formada pelos caminhos para Fiães e para Eiró, de Rouças, e ainda pela velha estrada romana para Puente Barjas, precisamente no sítio onde esta, mudando de direcção, parece dizer adeus às vetustas muralhas da vila, (...)

FOI-SE O ALFREDO "PACHORREGO"

25.01.15, melgaçodomonteàribeira
Alfredo Lourenço do Paço, 1930-2015   Um forte abraço, Alfredo !   Foram os anos, unicamente, que o amainaram. Hoje, passa os dias à porta do que foi a sua barbearia, sentado numa cadeira. É um ponto estratégico por onde quase toda a gente é obrigada a passar. Vive com o rico passado, com as reminiscências e com a visita ocasional dos numerosos amigos que, apesar de tudo, lhe são fiéis. Para nós que o frequentamos, faz parte de uma espécie endémica. Ele e o castelo são os (...)

« O AUGUSTO PARTIU DE MELGAÇO E AS RUAS FICARAM DESERTAS… »

28.05.13, melgaçodomonteàribeira
    AUGUSTO CAÇOLAS     Filho de Isabel do Nascimento Fernandes. Nasceu na Vila de Melgaço a 16/2/1914, tinha a sua mãe apenas dezasseis anos de idade! Devido a uma grave doença que teve, quando era miúdo, o seu cérebro não evoluiu como o das outras crianças normais. O seu corpo sim: cresceu, e muito – era um latagão! É provável que não tenha frequentado a escola primária. Embora a sua doença não permitisse um diálogo brilhante, uma conversa com princípio, meio e (...)

A TI MARIA E O PADRE

08.03.13, melgaçodomonteàribeira
    UM PADRE EXALTADO        O caso da mãe do Jacob que aludi, foi o seguinte:    A tia Maria, já idosa, com outras mulheres e a canalha da doutrina (catequese) entre eles eu, frequentavam a novena no mês de Maio, todos os dias à tarde.    O pároco, na altura jovem, passava por grave crise existencial e problemas de família (um seu irmão casara com a filha de ex-padre e isso era, a seu ver, sacrilégio).    Devido a esse estado de espírito andava o padre com os nervos (...)