Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MELGAÇO, DO MONTE À RIBEIRA

História e narrativas duma terra raiana

MELGAÇO, DO MONTE À RIBEIRA

História e narrativas duma terra raiana

OS FORAIS DE MELGAÇO

28.01.17, melgaçodomonteàribeira
  A cultura tem constituído preocupação primária na nossa política municipal. A Câmara de Melgaço tem investido na recuperação do património e na criação de infra-estruturas e equipamentos, assim como na acção cultural e na publicação de livros e textos que registam passagens importantes da nossa história colectiva. Com a concessão do primeiro foral em 1183, D. Afonso Henriques deu estatuto jurídico e administrativo a Melgaço, fundando assim o nosso concelho. Ao longo (...)

A FRONTEIRA DE SÃO GREGÓRIO

04.06.16, melgaçodomonteàribeira
    ESTADO CEDEU QUATRO EDIFÍCIOS POR CINQUENTA ANOS   CÂMARA DE MELGAÇO FICA COM CASAS DE FRONTEIRA    Os quatro edifícios da antiga Estação Fronteiriça de São Gregório, em Cristóval, freguesia mais a norte do território nacional, foram cedidos pelo Estado à Câmara de Melgaço, gratuitamente e por cinquenta anos. De acordo com o (...)

IGREJA DE CHAVIÃES

02.01.16, melgaçodomonteàribeira
      PARÓQUIA DE CHAVIÃES (SANTA MARIA MADALENA)   Na lista das igrejas situadas no território de Entre Lima e Minho, elaborada pela ocasião das Inquerições de D. Afonso III, em 1258, Chaviães, então denominada “Chavanes”, era citada como uma das igrejas subordinada ao bispado de Tui. No catálogo das mesmas igrejas, mandado elaborar, (...)

QUEM DÁ MAIS...

25.11.15, melgaçodomonteàribeira
e porque não? a minha bisavó era galega e pariu onze portugueses     GOVERNO VENDEU A UM ESPANHOL PRIMEIROS METROS DE PORTUGAL   “São os 60 metros quadrados do terreno mais a norte de Portugal e a mais importante caseta da Guarda Fiscal que o Governo aceitou vender, sem consultar ninguém, a um privado que, por acaso, é espanhol. Denuncia, ao JN, (...)

O CRUZEIRO DA ORADA

18.11.15, melgaçodomonteàribeira
Cruzeiro da Orada    CRUZEIROS     Aparentando maior antiguidade outro cruzeiro se levantou na Orada, à margem da estrada macadamizada e precisamente no sítio onde se tocam as extremas das freguesias de Santa Maria da Porta e Santa Maria Madalena de Chaviães. Colocado noutros tempos junto da Capela de Nossa Senhora da Orada para o actual (...)

VIA ROMANA VALENÇA-MELGAÇO

27.07.13, melgaçodomonteàribeira
  Ponte da Cava da Velha, Castro Laboreiro     ITINERÁRIO DA VIA ROMANA VALENÇA – MELGAÇO        Os vestígios romanos ao longo da margem esquerda do rio Minho podem estar associados a uma via que, derivando da via XIX em Valença, seguia em direcção a Melgaço e daqui para Espanha ou para Castro Laboreiro.    Esta hipotética via assenta num duvidoso miliário achado entre Ganfei e Verdoejo que seria mais facilmente atribuível à Via XIX que passava ali bem perto em (...)

O MENSAGEIRO DO CONDE

14.05.13, melgaçodomonteàribeira
  Convento das Carvalhiças e capela da Senhora da Pastoriza     CAPELA DA SENHORA DA PASTORIZA   FUNDAÇÃO   « ... havendo respeito a estar vago o posto de capitão da Companhia de Infantaria da Ordenança da freguesia de S. Paio, de Remoães e Várzea, da vila de Melgaço, por promoção de Matias de Sousa e Castro, Capitão dela ao posto de sargento mor da mesma ordenança, e a Domingos Gomes de Abreu me representar que indo ao Reino de Galiza por ordem do conde de Atalaia (...)

AS MAMOAS CASTREJAS

08.03.13, melgaçodomonteàribeira
    REVISTA DA FACULDADE DE LETRAS   MAMOAS DO NORTE DE PORTUGAL: ESTADO DA QUESTÃO EM 1981   Por: Vítor Oliveira Jorge   Professor Catedrático da Faculdade de Letras da U.P.      O distrito de Viana do Castelo é muito rico em monumentos dolménicos. As concentrações megalíticas iniciam-se aliás junto à fronteira (a respectiva linha passa por alguns monumentos), prolongando para sul as necrópoles da zona meridional da província de Pontevedra.    No concelho de (...)

VANDALISMO NO PLANALTO CASTREJO

08.03.13, melgaçodomonteàribeira
ARTE MEGALÍTICA NO PLANALTO DE CASTRO LABOREIRO   (MELGAÇO, PORTUGAL)        Equipa arqueológica V. O. Jorge   Por António Martinho Baptista Centro Nacional de Arte Rupestre Vilanova de Foz Côa        Em Abril de 1990, na sequência de uma violação recente, detectámos a presença de gravuras e restos de pintura na Mota Grande, a maior mamoa do planalto de Castro Laboreiro. Tendo em atenção a importância do achado e no sentido de salvaguardar futuros vandalismos no (...)