Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MELGAÇO, DO MONTE À RIBEIRA

História e narrativas duma terra raiana

MELGAÇO, DO MONTE À RIBEIRA

História e narrativas duma terra raiana

O LILI DO TEODORICO

24.11.18, melgaçodomonteàribeira
  UM LUGAR ONDE NADA ACONTECIA… I O Lili do Teodorico era o assunto de momento. O Alfredo Pereira, mais conhecido como Pandulho, oficial de diligências, divulgou que o rapaz fora indicado pelo ministério público e iria a julgamento. Perplexo, o povo da terra passou a especular. Inventavam várias hipóteses para explicar o acontecimento. Novamente o Pandulho, que tinha acesso ao processo deu a explicação: o Lili, Teodorico João Fernandes como fora baptizado, escrevera ao (...)

PARADA DO MONTE

15.09.18, melgaçodomonteàribeira
vestuário de parada do monte   PARADA DO MONTE   Num edifício construído de raiz e dotado das condições necessárias, poder-se-iam guardar exemplares dos instrumentos utilizados no fabrico da lã (sarilho, dobadoura, carda, urdidor, tear, etc.), as alfaias, os carros de transporte, as louças e mobiliário, as peças de trajo antigo, as mantas e bordados, utensílios do pastor, a croça, etc., etc. A não ser feita esta recolha com urgência, em pouco tempo nada restará dos (...)

HOMENAGEM A ÓSCAR MARINHO

05.05.18, melgaçodomonteàribeira
taberna da ti maria do sabino   UM FILATELISTA MELGACENSE   Boticas, 26 Nov. (Lusa) – Um selo de 100 mil réis de 1853, avaliado em 770 mil euros, é uma das principais atracções da Iberex – XV Exposição Filatélica Luso-Espanhola, patente em Boticas até domingo. O coleccionador Óscar Marinho começou a juntar selos aos 15 anos e hoje, com 70 anos, mostra com orgulho a sua colecção de selos clássicos portugueses, onde se insere o de 100 réis da época de D. Maria II. “A (...)

UM MELGACENSE EM LA LYS

07.04.18, melgaçodomonteàribeira
trincheira portuguesa em la lys     ANTÓNIO REIS     No relógio da eternidade já bateu a hora fatídica em que as parcas cortaram o fio da vida de António Reis. Estou-o a ver rapaz novo, cheio de vida, feito tropa na grande guerra, a partir para França levando no coração juntinhos o nome da mãe e o de Melgaço. Foram eles o seu amuleto e sob a sua influência soube ele impor-se na batalha de La Lys a um pelotão de alemães, quando, rotas as linhas portuguesas, um prussiano (...)

UMA CASA FIDALGA

14.01.17, melgaçodomonteàribeira
    CASA DO RIO DO PORTO      Sita na freguesia da Vila, SMP. As armas foram concedidas, a 1/9/1793, ao Dr. João Manuel Gomes de Abreu Cunha Araújo. O primeiro membro dessa família a residir no Rio do Porto parece que foi o Dr. João António, nascido no século XVIII, filho de Bento da Cunha Araújo e de Maria Gonçalves, ou Maria Martins (moradores na Rua do Campo, depois Rua do Espírito Santo, perto da igreja matriz da Vila), casado com D. Maria Gomes de Abreu, ou D. Mariana (...)

FARO DE VIGO, 10/9/2016

24.09.16, melgaçodomonteàribeira
méndez ferrín   CINE E FRONTEIRA   Xavier Nogueira, viaxeiro, historiador, xeógrafo, escribe ao Fondo dos Espellos. “O caso (cóntanos) é que a comezo dos oitenta coñecín en Melgaço certo personaxe digno de lembranza. Presentoumo alguén do lugar que coñecía a súa historia e peripécia (…) Aquel home, xa maior, vivía cerca da Cámara, na rúa que descende lateralmente desde a Praça da República ata a de Hermenegildo Solheiro. Con grande amabilidade relatou como polos (...)

SAN PAYO - UM FOTÓGRAFO DE SÃO PAIO

16.07.16, melgaçodomonteàribeira
«SAN PAYO – RETRATOS FOTOGRÁFICOS»   Exp. SEC – IPM – Arquivo Nacional de Fotografia Museu do Chiado, 1995 comis. Vitória Mesquita e José Pessoa Cat. com textos de António Barreto (SP: a arte do retrato, a sociedade e a política), Raquel Henriques da Silva (O retrato fotográfico e o retrato na pintura. San Payo e a arte portuguesa, (...)

VIDAS MELGACENSES: O TI PIRES

18.06.16, melgaçodomonteàribeira
      O TI PIRES    O cinema exibido na casa do Emiliano, filmes mudos, era produto do génio inventivo do Manuel Pires. Este Papá Pires como passou a ser conhecido mais tarde devido a esse tratamento que os filhos lhe dispensavam, era oriundo do vizinho concelho de Monção, da freguesia de Tangil. Tivera longo tirocínio na freguesia da Valinha como (...)

O MELGACENSE DAS LETRAS AFRICANAS

09.12.15, melgaçodomonteàribeira
      Pires Laranjeira, que nasceu em 1950, em Melgaço, e viveu no Porto, Luanda, Coimbra e Londrina, é Professor Associado da Universidade de Coimbra, Faculdade de Letras, onde é responsável pelas cadeiras de Literaturas Africanas e de Culturas Africanas e onde leccionou as cadeiras de Literatura Brasileira e Introdução aos Estudos (...)

UM MELGACENSE DE MÉRITO

02.12.15, melgaçodomonteàribeira
  ADRIANO MARQUES DE MAGALLANES   Nació el 10 del julio de 1925 en San Gregorio – Melgaço (Portugal). Estudió ciencias políticas y es licenciado en Derecho, Graduado Social y Diplomado por la escuela central de idiomas. Desde el año 1965 es cônsul general de la República del Ecuador y fue once años decano del cuerpo consular (...)