Sexta-feira, 8 de Março de 2013

CONVENTO DAS CARVALHIÇAS II

 

Convento das Carvalhiças - Melgaço

 

 

No Convento de Melgaço, nas alas viradas à fachada principal e na que lhe fica perpendicular, situavam-se os dormitórios e, provavelmente, a hospedaria, onde ainda é possível discernir a marcação das primitivas celas, divididas por estrutura de taipa ou tabique, com pavimento em soalho e coberturas de madeira. Surgem evidenciadas, exteriormente, através das janelas quadrangulares, dispondo-se, no enfiamento dos corredores dos dormitórios, as janelas regrais, do tipo varandim, com guarda de cantaria. O número de vãos e as divisórias subsistentes permitem sugerir que o dormitório virado à fachada principal possuía sete celas, não se fazendo conjecturas sobre o virado a Sudeste.

O primitivo foi concluído em 8 de Setembro de 1750, executados por pedreiros e carpinteiros de Lanhelas, desconhecendo-se os seus nomes. Contudo, o trabalho não terá ficado satisfatório e o rigor do Inverno deitou abaixo parte da ala das celas, obrigando os frades a confinarem-se a uma das zonas menos arruinadas, onde passaram esse período rigoroso, em comunidade, numa clara, mas necessária, infracção da Regra, que estipulava a existência de celas individuais. No início de 1751, tiveram que solicitar a presença de mestres provenientes de Viana da Foz do Lima, para executarem os telhados dobrados, devido ao rigor do clima no local. Com Frei Félix de Santa Teresa (? – 1803), procedeu-se à divisão de mais celas e a colocação de soalho no corredor do dormitório em 1756. (56) (75) (76)

56 – A portaria viria a sofrer obras, subsequentes: em 1750, um pedreiro executou as escadas da entrada (4$800), (mil reis), tendo sido caiada em 1755 (5$050), a que se sucedeu a pintura dos caixilhos das janelas, em 1759 (2$400). A obra mais importante foi o seu lajeamento, em 1763 (17$000).

75 – É possível que se trate dos mestres António e Luís de Lanhelas ……

76 – E haja um claustro, onde cada um tenha uma pequena cela para orar e dormir (Fontes Franciscanas …. 2005, p.173).

 

Retirado de:

 

Htpp:/repositório.ul.pt/bitstream

 

Ana Paula Valente Figueiredo

 

Tese de doutoramento em Arte, Património e Restauro

 

FLUL – Lisboa 2008

 


publicado por melgaçodomonteàribeira às 10:05
link do post | comentar | favorito

CONVENTO DAS CARVALHIÇAS I

 

 

OS CONVENTOS CAPUCHOS DA PROVINCIA DA CONCEIÇÃO À LUZ DA ESPIRITUALIDADE FRANCISCANA E DA REGRA CAPUCHA – ANÁLISE

 

ARQUITECTÓNICA

 

 CONVENTO DA NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO de Melgaço encontra-se bastante bem documentado, sendo possível determinar as datas de execução de praticamente todo o edifício e as reformas que foi sofrendo ao longo do sec. XVIII, resultando em três campanhas de obras perfeitamente definidas, correspondendo à da sua construção, uma ampliação datada de meados do século e da reforma de alguns elementos da fachada na década de 60 da mesma centúria, a qual se alargaria a várias zonas do Convento.

A primeira pedra da igreja foi lançada em 10 de Outubro de 1748, tendo sido construída conforme planta cedida pela Ordem (-----), desconhecendo-se a sua estrutura primitiva, mas cremos que seria de menores dimensões que a actual………..

Os planos do novo templo iniciaram-se a 29 de Setembro de 1757, com a primeira pedra benzida em Fevereiro de 1758, correndo as obras rapidamente, pois a igreja seria inaugurada a 13 de Abril do mesmo ano. Surge implantado em local distinto do anterior, sobre “ (…) um lajão que servia de eira com sua casa para recolher palhas, que tudo tinha rematado por uma dívida de 30 000 réis o Capitão Manuel Gonçalves Gomes, da Vila de Caminha, e a deu de esmola aos religiosos, como antes disto ficava tão distante se serviam da eira e juntamente do palheiro, não só os vizinhos, e quem se queria aproveitar deles para as suas colheitas, mas também aqueles: quorum Deus vente resto: para nelas fazerem sacrifícios a Baco, e a Vénus, de noite e de dia.

No dia 30 de Maio de 1749, iniciou-se a construção do núcleo conventual, provavelmente térreo. Esta estrutura não chegou  aos nossos dias, uma vez que a ampliação da igreja, obrigou à reconstrução do núcleo conventual anexo, tendo-se iniciado as obras, por iniciativa de Frei Francisco do Rosário, que tomou posse em 13 de Junho de 1765.

……………………………………………………

Assim, a figura de Frei Diogo da Purificação foi essencial nos Conventos de Melgaço e São Francisco de Viana……

Frei Paulo foi o responsável pela remodelação da fachada de Melgaço…….

A Frei Francisco da Trindade, devem-se várias obras em Melgaço……..

 

Htpp:/repositório.ul.pt/bitstream

 

Ana Paula Valente Figueiredo

 

Tese de doutoramento em Arte, Património e Restauro

 

FLUL – Lisboa 2008

 


publicado por melgaçodomonteàribeira às 09:56
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 9 seguidores

.Junho 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.links

.posts recentes

. CONVENTO DAS CARVALHIÇAS ...

. CONVENTO DAS CARVALHIÇAS ...

.pesquisar

 

.tags

. todas as tags

.subscrever feeds