Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

MELGAÇO, DO MONTE À RIBEIRA

História e narrativas duma terra raiana

MELGAÇO, DO MONTE À RIBEIRA

História e narrativas duma terra raiana

O FOTÓGRAFO SAN PAYO

25.01.14, melgaçodomonteàribeira

 

O fotógrafo San Payo com o seu pai, Manuel Alves – dois artistas.

 

 

MANUEL ALVES DE SAN-PAYO

 

 

   Artista-fotógrafo, cineasta, conferencista e publicista, nasceu em São Paio, a 16/4/1890. Desde muito novo revelou grande inclinação para as artes plásticas. Em 1902 ingressou no Seminário de S. António e S. Luís de Gonzaga, de Braga, tendo completado os preparatórios em 1909. Abandonando o seminário, emigrou para o Brasil, onde se empregou no comércio. Durante algum tempo, frequentou o liceu de Artes e Ofícios, onde aprendeu desenho. Empregou-se, depois, numa oficina fotográfica, como retocador, até que, por conta própria, começou a dedicar-se à fotografia. Fez exame de admissão à Escola Nacional de Belas Artes, do Rio de Janeiro, exame de cultura geral, tendo frequentado as aulas de desenho e pintura durante um ano. Depois começou a escassear-lhe o tempo e desistiu. Realizou diversas exposições: na Casa Castanheiro Freire, em 1924; na Casa Aguiar, em 1925; no Rio de Janeiro em 1926; em Petrópolis, em 1925; no seu estúdio, em Lisboa, em 1930; na Sociedade Nacional de Belas Artes, em 1937; no S. N. I., em 1950.

   Tratou de assuntos de arte em geral e especialmente de fotografia em « A Voz », « Novidades », « Diário de Lisboa », « Objectiva », etc.

   Realizou conferências na Sociedade Nacional de Belas Artes de Lisboa, intituladas: A fotografia e o Futurismo; Como se deve Encarar a Crítica da Arte. E na Sociedade de Propaganda de Portugal: Luz e Sombra e o Processo do Bramélio.

   Para o cinema realizou, no Brasil, em 1916, os filmes: A Quadrilha do Esqueleto, policial de grande metragem; A Cabana do Pai Tomás, tragédia; O Senhor de Posição, e vários documentários. Em Portugal, foi o realizador do filme: O 1º Cruzeiro de Férias às Colónias (1935) e diversos documentários.

   É agraciado com o grau de Cavaleiro da Ordem de Santiago.

 

 

P.e Júlio Vaz apresenta: Mário

P.e Júlio Vaz

Edição do autor

1996

pp. 270-272

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.