Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

MELGAÇO, DO MONTE À RIBEIRA

História e narrativas duma terra raiana

MELGAÇO, DO MONTE À RIBEIRA

História e narrativas duma terra raiana

MELGAÇO RADICAL

melgaçodomonteàribeira, 06.04.24

mr.jpg

foto: melgaço radical

MELGAÇO DOS DESPORTOS RADICAIS PARA PAIS E FILHOS

Mariana Falcão Santos

Lá em cima, entre a fusão de azul do céu e verde das plantas, distingue-se o caudal do rio Minho. De um lado Espanha e do outro Portugal. Ao fundo, vê-se uma das barragens espanholas que controla o leito do rio e aquele que marca o ponto número 1 das terras lusitanas. É um romantismo, claro que é, mas há uma certa solenidade na ideia de “aquele” ser o ponto número 1, ali começar Portugal. Desde o início do Planalto que a fronteira é feita pelo Trancoso que ali nasce e desce até ao rio Minho (até Cevide, junto a S. Gregório), na freguesia de Cristóval. E é por isso que nos esforçamos para do cimo da montanha apurar a vista e procurar as referências que Paulo Faria nos vai dando. É ali.

Rio abaixo, o caudal do Minho vem servir de pano de fundo para as mais variadas atividades náuticas e parece ter sido feito (depois das devidas alterações pela mão humana) a pensar nos amantes da adrenalina aquática.

O rafting, desporto do qual Melgaço é capital ibérica, deu os seus primeiros passos no início dos anos 90 e foi ganhando cada vez maior popularidade. Atualmente, a oferta de atividades é diversificada mas o rafting, que consiste na descida de rios dentro de um barco insuflável, está no topo da tabela de desportos náuticos mais procurados na zona, junto com a canoagem, o paddle e o canyoning.

Se muitos vêm esta atividade como algo direcionado para adolescentes que gostam da adrenalina, a experiência de Paulo com a Melgaço WhiteWater diz-lhe o contrário. “Somos essencialmente procurados por portugueses, especialmente por famílias com filhos mais novos. Acontece muitas vezes termos miúdos muito felizes com a experiência e pais e mães apavorados de medo”, conta a sorrir.

O truque é, acima de tudo, garantir sempre a segurança e trabalhar com aqueles que percebem do assunto e se sentem como peixe dentro de água, passando a redundância. O rio Minho convida a tudo isto. As condições do rio e a sua classificação baixa tornam as práticas mais seguras e flexíveis, diminuindo o risco e o perigo. Aqui, atividades como o rafting são feitas para todas as idades e gostos, e podem até decorrer à luz das estrelas, numa das três descidas noturnas do rio que a Melgaço WhiteWater organiza anualmente, nos meses de verão.

Em terra, o nosso passeio chegou ao fim na Igreja de Fiães, sítio onde os monges terminavam as suas caminhadas. Na fachada, um tronco oco desgastado pela idade serve de amuleto a quem por ali se casa. O mosteiro já não está lá. Restam as ruínas e a Igreja que ainda hoje serve o povo de Fiães.

Voltamos a colocar os pés em solo de alcatrão com a certeza de que esta é uma experiência que não se esquece.

SAPO 24

24.sapo.pt

918 b Digitalizar0014.jpg