Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MELGAÇO, DO MONTE À RIBEIRA

História e narrativas duma terra raiana

MELGAÇO, DO MONTE À RIBEIRA

História e narrativas duma terra raiana

MELGAÇO DA PRÉ-HISTÓRIA AO SÉCULO XXI

21.05.16, melgaçodomonteàribeira
   J.Marques Rocha nasceu em Monção (Alto Minho) em 1941. Ali aprendeu as primeiras letras. Até 1962, trabalhou no escritório dum reputado advogado monçanense tomou o gosto pelos meandros do Direito. O serviço militar deu-lhe a conhecer terras (Porto, Espinho, Torres Novas, Estremoz, Aveiro e Lisboa), até que, em 1962, foi mobilizado (...)

O MELGACENSE DAS LETRAS AFRICANAS

09.12.15, melgaçodomonteàribeira
      Pires Laranjeira, que nasceu em 1950, em Melgaço, e viveu no Porto, Luanda, Coimbra e Londrina, é Professor Associado da Universidade de Coimbra, Faculdade de Letras, onde é responsável pelas cadeiras de Literaturas Africanas e de Culturas Africanas e onde leccionou as cadeiras de Literatura Brasileira e Introdução aos Estudos (...)

O FILHO MAIS VELHO DE DEUS

07.10.15, melgaçodomonteàribeira
          O FILHO MAIS VELHO DE DEUS   Esta obra não pretende ser um manual catequético, mas sim um texto que incita à reflexão séria do leitor sobre a possível relação simbiótica, quase carnal, quase espiritual, com aqueles que já partiram. Mas, os que partiram, partiram para onde? Ou para o quê? O narrador sente-se penhorado com todas (...)

O RECUPERADOR DE TEMPO

05.09.15, melgaçodomonteàribeira
  O autor, numa escrita verosímil de sobriedade e transparência, e com breves episódios, ocorridos entre o campo e a cidade, conduz o leitor, em crescendo de curiosidade à forma como o homem, enquanto ser existencial, caminha ao alcance do “Recuperador do Tempo”. Através do protagonista da obra, Osvaldo, que ofuscado por um passado de (...)

MELGAÇO NA LITERATURA GALEGA

02.09.15, melgaçodomonteàribeira
             O CAPITÁN GALEGO    A xeografia galega de Álvaro Coristanco é, fundamentalmente, ourensá e raiana, moi limitada espacialmente e restrinxida ao sur de Galicia. Como xa indicamos anteriormente, Sernin sitúa o nacemento, a infancia e a adolescência de Álvaro no pobo ourensán de Sobrado, a duas horas de cabalo da fronteira (...)

A QUINTA DAS VIRTUDES

19.08.15, melgaçodomonteàribeira
  (…) Umbelina, só ela própria se lembraria de haver sido derrubada, entre o milho, numa tarde de Agosto de pó no ar, à margem de um regato das Taipas, donde era oriunda, mesmo à beirinha daquelas fundas tinas, pétreas e quase tumulares, que pertenciam às termas vetustas, que os patrícios romanos tinham abandonado. E alistar-se-ia o moço que a desonrara num regimento de Braga, relapso à promessa de casamento que, frente ao sacrário, solenemente assumira, e garantia-se, pouco (...)

AS ORDENAÇÕES AFONSINAS

09.05.15, melgaçodomonteàribeira
  UM DOCUMENTO FUNDAMENTAL PARA A COMPREENSÃO DAS LEIS PORTUGUESAS NA IDADE MÉDIA.   Os primórdios da Dinastia de Avis trazem consigo a premente necessidade de coligir o Direito vigente no reino, abrindo caminho para uma autêntica lida codificadora, que irá terminar na vila de Arruda em 1446. Mas será que essa compilação de leis, que chegou aos nossos dias sob a designação de Ordenações Afonsinas, foi a mais antiga a vigorar em Portugal? Em redor dessa faina compiladora, (...)

MATILDE, A BRUXA EM MELGAÇO

04.04.15, melgaçodomonteàribeira
  O CAVALEIRO DE OLIVENÇA   A vida de Matilde cruzara-se com a de Vasco no longínquo ano de 1498, quando fora condenada à morte por enforcamento, em Melgaço, sob a acusação de ser bruxa e de ter provocado a morte de uma fidalga. Mulher nova, então com uns vinte anos de idade, sempre se dedicara a mezinhas e poções, e aprendera com a avó e uma tia a distinguir as plantas e a saber as propriedades de cada uma; era uma ciência natural, mas a ignorância das pessoas julgava-a (...)

FRÁGEIS ELOS

21.02.15, melgaçodomonteàribeira
  À primeira vista parece fácil escrever a história de uma família, mas à medida que se vão conseguindo nomes, datas, e outros dados considerados importantes, verifica-se que não existem facilidades de espécie alguma. Pelo contrário, os obstáculos vão surgindo, e os pontos de interrogação nascem aqui e ali, como a lembrar-nos de que muitas coisas do passado ficarão para sempre soterradas e esquecidas. No entanto, e apesar das enormes despesas, é gratificante ir a pouco e (...)

UMA ALMA BEM MELGACENSE

15.11.14, melgaçodomonteàribeira
Álvaro Domingues Foto www.por.ulusiada.pt   ÁLVARO DOMINGUES E MELGAÇO    O pai foi contrabandista, ele contrabandeia ideias à luz do dia e dos livros, passando-as entre geografia, em que se formou, a arquitectura, a cujos alunos dá aulas, a semiologia, só para citar alguns dos seus territórios de eleição. Pela Rua da Estrada e entre a Vida no Campo, levou-nos a Melgaço, uma terra que, com as suas palavras, se nos (...)