Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

MELGAÇO, DO MONTE À RIBEIRA

História e narrativas duma terra raiana

MELGAÇO, DO MONTE À RIBEIRA

História e narrativas duma terra raiana

DO SONHO À REALIDADE

08.03.13, melgaçodomonteàribeira

 

Jean Loup Passek

 

 

      Sinto-me na Cinna Citá, ao lado do mestre, no alto de uma grua a olhar para  as cúpulas, telhados, jardins suspensos, bairros de lata e ele a dizer, voz rouca, a gritar:

      — Roma, mi cittá.

      Frederico é o nome do meu avô; Fellini é o nome dum génio.

      Conheci Felinni, em 74 ou 75; preto e branco no 8/5; o Ciccio  no Amarcord, o Satiricon, as bichas p’ra entrar no Palácio Foz.

      Em Melgaço naveguei na fonte com a deusa nórdica; em Melgaço encontrei o outro, o nosso, o senhor Fellini, o homem que não precisa de nome; em Melgaço há muito para descobrir.

      E o senhor cinema, décadas depois do Ti Pires e do Sn.r Hilário, Jean Loup Passek, melgacense aprofilhado não contente com o espaço que lhe foi conferido pela C M M  conseguiu que o museu não parasse. E nós agradecemos. O antigo cine Pelicano vai ser reconvertido e o museu alargado.

 

Depois de Fellini é Bergmam!

 

Erros ortográficos são da responsabilidade de:

 

Io volo una dona….io volo una dona

 

Camborio Refugiado

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.