Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MELGAÇO, DO MONTE À RIBEIRA

História e narrativas duma terra raiana

MELGAÇO, DO MONTE À RIBEIRA

História e narrativas duma terra raiana

PORTUGAL DE PERTO

14.09.19, melgaçodomonteàribeira
  Os últimos dias da minha viagem foram de solidão invernal. Era já fim de Novembro de 2010 e poucas pessoas habitavam quer a zona da serra da Peneda quer o planalto, em Lamas de Mouro ou Castro Laboreiro. Quando alcancei o Santuário de Nossa Senhora da Peneda às cinco da tarde, vindo do Soajo, não encontrei ninguém. O hotel ao lado do Santuário fechara para remodelação. À porta da igreja, uma vaca pastava pachorrenta, só incomodada mais tarde por uma cadela que teimou em me (...)

MELGAÇO, ÁGUAS DO PESO

07.09.19, melgaçodomonteàribeira
  LUGARES DE CURA E DE LAZER: PRAIAS E TERMAS DO NORTE DE PORTUGAL ENTRE OS FINAIS DO SÉCULO XIX E INÍCIOS DE NOVECENTOS   Alexandra Esteves   Eram igualmente afamadas as águas das termas do Peso, na freguesia de Paderne, concelho de Melgaço. O pedido de aproveitamento das águas do Peso para fins medicinais foi registado na Câmara Municipal de Melgaço em 1884. Após uma época aurea, em que se enchia de aquistas em busca de cura para os seus males, seguiu-se um período de (...)

A PNEUMÓNICA EM MELGAÇO

31.08.19, melgaçodomonteàribeira
O IMPACTO DA PNEUMÓNICA EM ALGUNS CONCELHOS DO ALTO MINHO   Alexandra Esteves   A «pneumónica» ou «gripe espanhola», designações dadas entre nós à pandemia de gripe de 1918, teve uma curta duração, já que os seus efeitos devastadores se fizeram sentir quase unicamente nos idos anos de 1918 e 1919, e caracterizou-se pela elevada morbilidade e mortalidade, especialmente nos estratos jovens da população. A situação revelou-se particularmente difícil em Melgaço, sobretudo (...)

SOPRANO À MINHOTA II

24.08.19, melgaçodomonteàribeira
Benfiquista e bom patrão Foi no bar que Abel conheceu Diene Amorim, uma brasileira com quem tem dois filhos. Hoje o casal vive em Bridgewater, numa casa de 315 metros quadrados que comprou há nove anos por 655 mil dólares (cerca de 517 mil euros), mas durante anos viveu num apartamento modesto por cima do restaurante. Os dois vestem-se bem, embora discretos. Abel conduz um AudiA4 com oito anos e Diene uma carrinha Volvo. Os filhos frequentam uma escola pública e vão todos os fins de (...)

SOPRANO À MINHOTA I

17.08.19, melgaçodomonteàribeira
  A história exclusiva de Abel Rodrigues, o emigrante de Melgaço cujo restaurante em Newark terá servido para a máfia nova-iorquina lavar 400 milhões de dólares.   Alexandre Soares, em Newark (artigo publicado na Visão 1130, de 30 de outubro 2014) Quinta feira, 6 de Novembro de 2014   Na madrugada de 21 de Outubro, perto das seis da manhã, Abel Rodrigues acordou com o som da campainha. Na sua casa em Bridgewater, no estado de Nova Jérsia, Estados Unidos, abriu a porta e, ainda (...)

VIVER O MINHO

10.08.19, melgaçodomonteàribeira
  O que mais me impressionou, no Minho, foi este relevo extraordinário, composto por montes bem delineados, cobertos de vegetação luxuriante onde, a cada curva da estrada, vos espera um rosto que vos sorri de modo diferente e vos convida a prosseguir a visita com cada vez mais curiosidade e paixão. O acolhimento, a vida sadia e simples mas simultaneamente dura dos Minhotos, fizeram com que eu sentisse necessidade de partilhar convosco todo este néctar cultural e humano de uma das (...)

FÉRIAS EM MELGAÇO

03.08.19, melgaçodomonteàribeira
igreja de santa rita  roussas     DEPOIS DAS FÉRIAS (A Voz de Melgaço, 01.09.1971)   Alguém passou no meio de nós… Manhãs de Primavera… Tanta coisa linda se pode fazer…   À hora a que o nosso jornal tiver saído, muitos dos nossos conterrâneos e amigos, que vieram até junto dos seus, a esta linda terra, terão regressado aos lugares de trabalho. Nos seus carros, nos comboios, nas camionetas, como puderam, lá se foram eles, deixando-nos umas lindas manhãs de Primavera. (...)

NÃO SEI

27.07.19, melgaçodomonteàribeira
  ATRACÇÃO IRRESISTÍVEL   Não sei se és tu, Melgaço, que me atrais, Ou o meu passado que em ti encerras; Se são os teus vales, as tuas serras… Os teus campos verdes, os teus pinhais.   Não sei! E não sei o que eu desejo mais: Se fugir-te, como fujo às guerras, Se repartir meu amor por outras terras, Se voltar para os teus braços maternais.   Não sei! E nesta eterna indecisão Agita-se o meu corpo como o vento… Sofre o meu tormentoso coração.   Como pode ser alegria (...)

HISTÓRIAS DE VIDA

20.07.19, melgaçodomonteàribeira
morminda dos prazeres   HISTÓRIAS DE VIDA Maria Orminda dos Prazeres   Nascida em 16 de Julho de 1927 no Porto, filha de Abílio José Marinho e de Irene dos Prazeres, ele de Celorico de Basto, chefe das águas de Melgaço (Peso) e ela natural de Melgaço. Os primeiros anos (só 2) esteve na escola de Melgaço, mas quando se mudou para o Porto, foi para o Colégio onde estudou o resto dos anos. Este colégio teve origem para recolher as crianças sobreviventes da invasão Francesa e d (...)

MELGAÇO, UM MOSTEIRO QUE DESAPARECEU

13.07.19, melgaçodomonteàribeira
terras de paderne   SÃO PAIO DE PADERNE   Vamos agora sair da vila de Melgaço e dar uma volta pelo seu concelho medieval. Depois voltaremos de novo à vila. Começáramos por S. Paio de Paderne que foi sede, segundo me parece, do antigo arcediago de Valadares, arcediago esse que não tinha assento no coro de Tui, onde apenas tinham cadeira os arcediagos de Cerveira e de Labruja do território português pertencente ao bispado de Tui, que era todo o Entre Minho e Lima. Paderne foi em (...)